quarta-feira, 28 de outubro de 2009

ímpar outono




baseada
no que viste
e aqui leste

com a beleza incomum
duma aquarela
multiflor

despiste
e ao mesmo tempo
trajaste

minha poesia
a rigor







23 comentários:

Vanessa disse...

poesia bordada de flor

Marcelo Mayer disse...

seus poemas são bem musicais

Úrsula Avner disse...

Olá meu caro autor, bonitos e melodiosos versos num poema bem construído. Um abraço.

Mirse Maria disse...

"Despiste e ao mesmo tempo trajaste minha poesia à rigor"

Que lindo!

Parabéns, Múcio!

Forte abraço

Mirse

Simplesmente Outono disse...

Justamente por trajar tamanha beleza, leveza e sensibilidade tal misto tornou este outono além de doce e lindamente único algo tão ímpar quanto à tua escrita.
Lendo-te sempre que posso.
Deixo pelo teu chão algumas de minhas folhas secas como registro de minha presença.

Leandro Ferreira disse...

Traje de alfaiataria, das mais tradicionais, escondidas nas periferias de grandes centros de diversões etílicas e sexuais! Saudade, meu tio!

Brisa disse...

Venho pouco, confesso, mas adoro dar uma passadinha por aqui!

Vou te linkar no meu espaço, posso?

Beijos.

Márcia Carvalho disse...

Bicho de 7 Cabeças é uma daquelas obrigações diárias e prazerosas (eu tenho umas 2 ou 3...). Está valendo!

Cynthia Lopes disse...

UAU poeta, perfeitos versos a rigor. bjs,
Cynthia

Simplesmente Outono disse...

Andando sem pressa por entre as folhas do TEU outono.
Gosto. Gosto muito.
Fique agora com algumas das minhas.

Simplesmente Outono disse...

Ando querendo ler-te seja aqui ou lá em meu Outono. Como faço?
Minhas folhas secas para este nobre e necessário poeta repleta de carinho e respeito.

Mi disse...

d+!!! :)

Tina disse...

Oi Múcio!

Como sempre, lindo.

beijos,

saudade,

sumido.

Anne Baylor disse...

Delícia de vestir,
essa poesia de flor!

=]

Simplesmente Outono disse...

Texto novo publicado faz pouco. Volto.
Minhas folhas secas com carinho pra ti.

Paulo Viggu disse...

Saudades do Poeta-irmão, passo e leio sempre sua poesia a rigor.
Rio abaixo - Paulo Viggu

octavio roggiero neto disse...

Irmão, como está, além de bem vestido, sempre?

Múcio, e o que me diz da arbitragem?
sacanagem!
O Brasileirão, que baderna:
meu Palmeiras no apagão;
seu Sport na lanterna.

Mas escreve aí: o Verdão ainda vai ser campeão, apesar de tudo e dele mesmo.

Como é que foi o lançamento do Grão ao Alto! lá em Natal?

Um abraço.

Francisco Nery disse...

você é muito bom múcio...
mt massa seu blog..

se der, da uma olhada nesse post
http://eumaistutumaiseu.blogspot.com/2009/09/por-um-triz.html

abraço, tenha um ótimo fds!

Valéria C. disse...

lindo como sempre...
beijo moço da bienal

Simplesmente Outono disse...

Nossa...
Desapareceu mesmo.
Gosto de estar por aqui onde justamente por isso estou sempre que posso.
Não suma da minha estação.
Gosto do que sempre deixa registrado por lá.
Desejo uma ótima semana.
Minhas folhas secas pra ti com carinho e respeito.

Cristina Loureiro dos Santos disse...

Perfeito!
Lindo, lindo como só pode ser a tua poesia.

Mil beijos, poetamigo querido.

:**

Simplesmente Outono disse...

Relativamente, o todo e o tudo...
É fato de que não há nada de bom para ser lembrado e/ou guardado no que foi supostamente vivido em sua plenitude.
Todavia, fica arduamente estabelecido que:
Esta briga do esquecer completamente não cessa nunca.
Este incômodo nato e cansativo é tão inquietante quanto à peleja.
É notório o quão foi efêmera esta cumplicidade.
Quanto ao título? Certamente uma totalidade que nunca existiu.
Moral dessa história: É um não querer lembrar sabendo quase que aos gritos que jamais será esquecido.
Texto que acabo de postar em minha estação. Te vejo por lá. Com carinho minhas folhas secas pra ti.

Simplesmente Outono disse...

Espero que esteja tudo bem.
Senti sua falta nos últimos dias. A presença da sua ausência foi sentida de forma bem evidente, não tenha dúvida.
Continuo por lá e por aqui, como pode perceber.
Minhas folhas secas com todo o carinho acumulado deste tempo.
Cuide-se e não suma, se puder.