sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

pindaíba




minha poesia
não dá camisa

minha poesia
não enche barriga

minha poesia
não mata fome

que desgosto

minha poesia
não paga nem imposto

7 comentários:

epee disse...

Nem por isso, menos poesia.
¬

Cristina Loureiro dos Santos disse...

Ah! Mas é uma poesia encantadora, linda demais!

Beijos, poetamigo muito querido :**

S. Outono disse...

SAUDADE!!!
EM LETRAS ALÉM DE GARRAFAIS.

Alex Pinheiro disse...

bem verdade, rs. Nem Ferreira Gullar come poesia, mas deixou um alimento especial na dispensa: "a arte existe porque a vida não é suficiente".

DICA: abra um "donate", rs


Abraços e desabafadas invenções!

Jacqueline disse...

mas acalentaaaa..

Beijo

J.F. de Souza disse...

como toda manifestação de arte
deve ser
: servindo a todos
pra sei-lá-o-quê

Lucas Victor disse...

Olá, gostei do teu blogue, to seguindo, da uma passadinha do meu, se gostar...segue ;D Ghttp://sintomasdepsicopatia.blogspot.com.br/