sábado, 26 de setembro de 2009

ibirapoeira solar [photo by pepê]




quando
me largo
frente ao lago

meus
olhos dormentes
afago

enquanto
com o tempo
esgrimo

quando
me lago
rente ao largo

l a g r i m o

11 comentários:

Úrsula Avner disse...

Caro poeta, lindo poema, onde você brinca com as palavras, dando-lhes vida, novo sentido, numa delicadeza poética admirável. Lagrimar ao largo do lago... Fascinante ! Meu carinho.

Marcelo Mayer disse...

gostei tb dessas "brincadeiras"
a sonoridade ficou muito foda!

voltarei sempre

asdeouro disse...

bem, acho que tô ficando famoso. a mi não me pediu pra publicar imagem minha, acho que já vou começar bem! hohohoh
:D

Paco * disse...

Lindo, Múcio!!!

Agora toda vez que passar lá no laguinho vou pensar em ti!

=)

.Marrí Franco. disse...

Lagrimar frente a este lago é afagar a alma...

james emanuel disse...

Tudo de muito bom gosto por aqui.


Um abraço.

Solin disse...

esgrimas com o tempo não deve ser fácil.

Érica Franzon disse...

Muitíssimo obrigada pelo comentário. Gostaria de dizer que amo poesia desde sempre e achei as suas incríveis. Gostei das imagens que suas palavras me fizeram ver. Vou passar sempre aqui! Bjos

Cel Bentin disse...

Aceso na onda da ága que só parece parada. ela vira os olhos. no fio do corte da gente;

não esquece, descendo cá, avisa, comparsa! abs

Juℓi Ribeiro disse...

Múcio:

Lindo!
Perfeito!
Um abraço.

Muryel De Zoppa disse...

belo!