sexta-feira, 22 de agosto de 2008

pós-poema


depois que eu partir,
que de nada
adiante o meu atraso,
de lá minto meu lamento.

adeus poemas mal ditos,
mentiras benditas tão bem.
o Poe, a ema, o amar, a azia,
adeus, ateus, nós, voz, elfos.

adeus tudo pertence.
passei aqui como um vento,
um rio raso,
não vivi, tive um caso.


foto: ornella ermínio.

13 comentários:

rio daqui disse...

É, irmão! Poe, emas, amores,azias, vozes ... de passo a passo passam. Tiveste um caso bem casado, creio eu. Rio daqui/ abraço aí/Paulo Viggu

Sandra Regina de Souza disse...

Te gosto muito, Múcio. Só posso dizer que vc não passa... não pára de rimar na minha casa... Vc... sempre dentro, perto. obrigada.

Tina disse...

Oi Múcio!

Essa foi de tirar a fala...sério.

super beijo e boa semana.

Dois Rios disse...

As despedidas são sempre difíceis e dolorosas.

Os seus versos conseguem transmitir o vazio e a aspereza que esta palavra clama.

Beijo,
Inês

moacircaetano disse...

E nesse caso raro
com a vida
a poesia
(que atrevida)
te engravida!

Aline disse...

pois me espera, que vou junto.

amo-te.

Dolfo disse...

Quanto mais navego, mais gente boa descubro escrevendo poesia neste nosso Brasil ... abraços!

Atriz disse...

suas formas de dizeres são tão mágicas(não é esta palavra, mas fica sendo)que me vejo em um labirinto, num canto sem volta, ao deparar-me com tamanha sutileza e verdade!

não vá embora, não, não vá!

beijo, sua fã, Gisele

*** Cris *** disse...

Adorei o encontro de palavras que vc fez, lindo poema.
Bjs!!!

Camilla Tebet disse...

E é de casos feita a vida. Vida completa.
Ps. gostei daqui.

Cynthia Lopes disse...

Tiveste um caso com a poesia, tá completo, viveste uma vida enorme e inteira! Parabéns pelos preciosos versos.

Paco disse...

Genial.

ia escrever lá em cima, no poema mais atual, mas daí fui lendo, e descendo, e gostando, postei aqui.

Vc é mto bom mesmo!

Jake disse...

nunca que tu passa.