quinta-feira, 3 de julho de 2008

a beautiful day


já quis ser Leminski,
Mallarmé, Baudelaire,
um quadro
em Kandinski,
Macalé, um Pelé,
uma Natasha Kinski,
se fosse mulher;
quem nunca quis,
e quem não quer
ser uma Leila Diniz,
ou Camille Cloudel,
uma Angelina Jolie
com aquela boca,
uma coisa louca!
pois eu já quis
usar Botox,
ser Bono Vox
a beautiful day,
Waly Salomão,
Itamar Assunção,
e até Doris Day.
eu já quis ser Rimbaud,
Alencar, Allan Poe,
qualquer um de Machado,
quis fugir pela África
como o mais procurado;
quis bater em Fidel,
escrever como Gabo,
pra ganhar meu Nobel.
eu já quis clonar,
ser clonado,
ser um super-herói
de brinquedo,
sem ódio, sem medo,
um Chapolim Colorado;
já quis ser ou não ser,
eis a questão
,
dentre outras tantas,
ser eu sempre quis,
e nem me importo
em morrer depois dos trinta
num quarto de hotel
de quinta,
mas que seja em Paris.
foto: alberto v. d´almeida.

12 comentários:

Déa disse...

Meu querido e maravilhoso poeta! me permita copiar sua poesia em meu blog! Essa aí em vou dedicar a uns dosi amigos meus! Ela é liiiiiiinda! Super beijos

Juℓi Ribeiro disse...

Múcio:

Adorei!
Você tem o dom de encantar
a todos com o seu talento
e sua sensibilidade.
Abração.

Octavio Roggiero Neto disse...

você é sempre o mesmo
sempre diferente
humildemente, é o maioral
tão querido da gente
Múcio, você não tem igual!

Raiça Bomfim disse...

Ah, que bom é ter poesia que alimente o riso.

Raiça Bomfim disse...

Ótimo isso aqui.

Rayanne disse...

Ai que até perdi o fôlego!!!!

Quem nunca quis
Ser de Múcio aprendiz,
Sentir e ser tela,
Ser nas mãos do poeta
Um risco de giz?
Ah eu queria,
Mas Múcio é profeta,
E diz um poema
(A voz, bem macia)
Toda a vida arrepia,
Feito meretriz.
Eu também tenho meta,
Escrever feito ele um dia,
Aí, quem sabe, depois dos trinta,
Possa também eu morrer
Num quarto de quinta,
Um hotel em Paris,
Com sorriso no rosto
E o fim:
Por um triz.

E cadê que tú vai visitar minha casa?

**Estrelas**

Mas eu amo.

Márcia(clarinha) disse...

Uau! me faltou o ar, quase desfaleço de tanto querer.
Quem não quis ser outro alguém por um minuto apenas?

poeta querido meu, você é inigualável.

lindo dia
beijos

rio daqui disse...

O poeta quer ser e é. Chaves diz que foi sem querer querendo. Oswald de Andrade diz ser 300, 350.Estou num hotel de quinta de uma cidadela distante pensando o quão é ler o poeta-irmão Múcio. Rio daqui - abraço - Paulo Viggu

Sandra Regina de Souza disse...

Quem,
como eu,
nunca quis
ser poeta,
como você?!!
Adoro os teus achados genialmente geniais... minhas reverêcias constumeiras, meu querido!!
Beijosss

Dois Rios disse...

Ô menino pra escrever bonito, sô!
Morrer depois dos trinta em Paris, por que não? Num hotel de quinta ou quem sabe num de cinco? Tudo bem, eu topo, mas só se for de amor para poder continuar usufruindo das linduras que você escreve.
Bj.

Alex Pinheiro disse...

Ah,,, que Rimbaud já quis ser também,,, Tenho uma estranha paixão pelas armas de fogo,,, rs
Agora tornando público (rs): Esse final aí tá bem filme de beira de estrada! rs

Abraços e inspiradas invenções!

Tina disse...

Oi Múcio!

De qualquer jeito, mas que seja em Paris! E se for para viver, que seja para continuar a ler você. (rimou?!)

beijos querido, some não...