quinta-feira, 19 de junho de 2008

balada para a bela Inês



me diga
quem foi que disse
essa tolice,
me diga
quem cometeu
essa sandice,
diga quem disse
essa doidice,
se foi Alah ou Alice,
se foi Dante ou Beatrice
quem disse.
foi Maomé, foi Ulisses,
me diga quando,
e aonde,
se foi James Dean,
ou James Bond
quem proferiu
tal maluquice.
me diga
como quem crê
em crendice,
quem foi que disse,
ou ainda insiste
em dizer que você

existe.




foto: Alberto V. d´Almeida



10 comentários:

Dois Rios disse...

Pergunta feita num amor desfeito.
Bj,

Sabrina disse...

sei que preciso mudar meus elogios, mas quando entro aqui só consigo pensar em
"lindo poema! como sempre!"
mas hoje vou mudar um pouco:
lindo poema, como tantos!
beijos...

Jake Mello disse...

hehe.. Múcio consegue criar espirituosamente o espirituoso descrente..

Maravilhoso!

Beijos.

Poesia! disse...

bom dia!
gosto muito do sua pagina!
sou adm. do blog “o fogo anda comigo”(thefirewalkswithme.blogspot.com).
o blog tem como ideal um SARAU AMPLIFICADO onde TODOS divulgam suas ideias e, o principal, poemas.
gostaria de ser um parceiro seu!
OBRIGADO!
ofogoandacomigo@yahoo.com.br

Márcia(clarinha) disse...

E não existe quem disse...ou disse que existe?

lindos dias poetinha querido meu
beijos

Rayanne disse...

Sabe que às vezes nem eu acredito que você existe? Moço bonito!!!

**TODAS as estrelas**

moacircaetano disse...

hehehehe!
com o ritmo perfeito de Múcio!

Márcia(clarinha) disse...

por onde anda o versando poeta querido?

lindos dias,
beijos

Valéria disse...

vc que disse! rs
beijo

Déa disse...

Poeta maravilhoso. Essa poesia é FANTÁSTICA! Sabe que as vezes, quando leio o que voce escreve, me dá até vontade de me apaixonar! Rss
Mas a vontade passa, logo (graças a Deus!) Rss

(Acho que você já leu isso antes, não foi???)

Beijos