quinta-feira, 5 de julho de 2007

dois menos um


senão um sinal,
entre meu sim
e teu não, sal,
uma chuva de vento,
um vendaval,
e esse muro de seda
entre o teu
e o meu quintal.
foto: raul alexandre.

15 comentários:

Tina disse...

E a vida a passar... lindos seus escritos. Obrigada.

beijos querido,

Mary disse...

Que esse muro de seda se desfaça em fantasias e vamos brincar de carnaval! =D

Beijos muitos!

(Comentei o post debaixo, olha lá! rs)

;**

Antônio Alves disse...

Esses muros de seda da vida atravancando as realizações. Tua arquitetura da palavra me encanta, amigo. Há braços!


Antônio Alves
No Passeio Público
Postagens às quartas e domingos

Octávio Roggiero Neto disse...

tantos muros sutis separando pessoas... seria tão fácil transpô-los, pra nos abraçarmos em um só sorriso, pra vivermos melhor. mas nosso egoísmo estorva tudo!

ê, Múcio, você sempre tão bom, tão cheio de ternura e rimas espertas, perspicazes! é mais que merecedor de toda a afeição que sentimos por este tão iluminado ser que seus versos refletem, e que nos deslumbra! mas chega de "rasgação-de-seda"...

abração, poeta!

Clóvis disse...

Bela paisagem poética...



:)

Márcia(clarinha) disse...

e a seda parece frágil...parece.
carinho meu procê poeta
beijos

poeta matemático disse...

Cara..

não entendi...

sério mesmo

Sandra Regina de Souza disse...

Ludicamente delicado... o vento balança esses muros de fácil transposição... eu rompo a barreira esvoaçante que nos une! beijos sem fronteiras

Pedro Pan disse...

, amor entre sinais em o mesmo quintal.
, gostei da imagem de "chuva de vento"...
, abraços meus.

moacircaetano, todo prosa! disse...

muros, só seda... rs...

A czarina das quinquilharias disse...

muro de seda...
lindo
:*
]
sôdade, mucim

diovvani mendonça disse...

Poema bom, como empinar papagaio de taquara e seda no azul.
AbraçoDasMinas.

diovvani mendonça disse...

Ah, e a seda que o Octávio, rasga pra você, eu também rasgo. Ou acendo... (rrsrs) sei lá... mas sei que seus escritos, dão um barato bom de curtir.

alex pinheiro disse...

Pow bru, suave e significativo,,, essa é a fenda... muito bom o curto poema e longo quintal...

Abraços e leves invenções!

fabio jardim disse...

quintal é lugar de brincar [eu digo no sentido macunaíma]. posso ter viajado, mas ficou bem erótico seu poema.